National

Incremento da biodiversidade funcional na protecção biológica de conservação contra pragas do olival

Coordinator: Laura Monteiro Torres

O olival ocupa uma área significativa nos países meridionais da CE, onde desempenha importante papel ambiental, social e económico. Nos últimos anos, fortes pressões de mercado, associadas à implementação de medidas agrícolas específicas, têm encorajado os olivicultores a intensificar a produção, e a marginalizar os sistemas de baixo “input”. Esta situação está a provocar a degradação de recursos naturais, assim como a perda de biodiversidade e de valores paisagísticos. Contudo, dada a natureza da oliveira e em resultado do seu significado social e económico, o olival, mais do que qualquer outra cultura da região Mediterrânea, pode configurar um modelo de uso sustentável do território, produzindo alimentos de grande valor e benefícios ambientais e, simultaneamente, contribuir para evitar a desertificação humana das áreas marginais. Esta cultura apresenta, assim, fortes possibilidades no estabelecimento de uma relação desejável entre agricultura e ambiente, modelo que desperta grande interesse na Europa, onde é designado o “Modelo Europeu de Agricultura” (i.e. atributos ambientais sustentáveis a par de uma efectiva produção agrícola). Uma das formas de alcançar a sustentabilidade das explorações agrícolas, consiste em incrementar a sua produtividade através da substituição de inputs externos (e.g. pesticidas) por serviços prestados pela natureza (“serviços ecológicos”). Enquadra-se nesta filosofia a protecção biológica de conservação que, em termos gerais, consiste na manipulação do habitat com o objectivo de maximizar o impacte dos inimigos naturais das pragas das culturas. O olival, sendo um ecossistema agrário com elevado potencial ecológico, é fortemente promissor para aplicação desta estratégia. O objectivo da presente proposta consiste em avaliar as possibilidades reais de incrementar a protecção biológica de conservação, neste ecossistema. A estratégia de manipulação do habitat a investigar para atingir este objectivo, consistirá na identificação de espécies/comunidades de plantas nativas capazes de facultar, aos inimigos naturais, recursos alimentares essenciais (e.g. néctar, pólen, meladas, hospedeiros/presas alternativos), de forma a melhorar a sua sobrevivência, fecundidade, longevidade e comportamento, e, desse modo, incrementar a sua eficácia. Embora o objectivo principal da proposta consista em maximizar este “serviço ecológico” específico, uma vez que tal objectivo deverá ser alcançado através do recurso a plantas nativas da região, a sua implementação deverá facultar benefícios adicionais (e.g. conservação da vida selvagem, da biodiversidade e da paisagem). Assim, desde que se prove que dada espécie/comunidade é efectiva na valorização da acção dos inimigos naturais das pragas da cultura, os agricultores terão motivações de natureza económica para a(s) preservar ou estabelecer nas suas explorações. De igual modo as organizações envolvidas na recuperação de áreas naturais terão maior apoio dos proprietários rurais. Potencialmente os resultados do projecto poderão incrementar a viabilidade das explorações olivícolas em áreas rurais marginais, em especial se integrados em sistemas de produção biológica, uma vez que a procura de azeite de agricultura biológica tem crescido e os consumidores mostram-se dispostos a pagar preços superiores por azeites de qualidade superior. A maior facilidade de comercialização do azeite poderá assim constituir-se como importante motor para a conservação dos recursos naturais. Por outro lado, é expectável que a divulgação dos resultados junto de olivicultores, organizações de conservação da natureza, produtores de plantas nativas e da sociedade em geral, contribua para a sua aplicação, na prática. As 1as Jornadas Nacionais de Olivicultura Biológica, realizadas em 2007, com a coordenação do Investigador Responsável (IR) da presente proposta, tendo reunido cerca de três centenas de participantes, entre os quais grande número de não-produtores, sugere o interesse do tema, por parte do público português. Os estudos de campo tendo por objectivo manipular o habitat com o objectivo de incrementar a protecção biológica contra pragas datam de há apenas cerca de duas décadas, pelo que assumem grande actualidade. Por outro lado e embora se reconheça hoje a vantagem de utilização de espécies nativas da região onde se pretende aplicar a estratégia, estas muito raramente foram avaliadas. Acresce que tanto quanto se sabe, apesar do elevado potencial biológico do olival, não há estudos integrais sobre as possibilidades da protecção biológica de conservação nesta cultura. Desta forma, o desenvolvimento de um projecto tendo por objectivo a gestão do habitat neste ecossistema, seguindo as orientações da engenharia ecológica, apresenta-se como fortemente promissor do ponto de vista de se alcançarem reais progressos neste crescente domínio de investigação.

Olive growing is a significant land use in southern Member States of the EU with important environmental, social and economic implications. During the last years, high market pressures as well as the implementation of specific agricultural measures are encouraging olive growers to intensify production, while marginalizing low-input systems. These processes are conducting to the degradation of natural resources and the loss of biodiversity and landscape values. Notwithstanding, because of the nature of the olive tree and due to its social and economic position, olive growing, more than any other Mediterranean crop could be a model for sustainable land-use in the Mediterranean region, producing highly-valued foodstuffs and environmental benefits, while helping to maintain populations in marginal areas. Olive production is therefore a good model for improving the relationships between agriculture and environment, a type of modeling that is receiving considerable attention in Europe, where it is referred to as the ‘European Model of Agriculture’ (i.e. positive sustainable environmental attributes in combination with effective agricultural production). One approach to achieve farm sustainability is to utilize nature´s services on farmland to increase productivity by replacing some major external inputs such as pesticides, with alternatives e.g. conservation biological control. While the classical type of biological control was based on passive protection of existing antagonists by adequate plant protection programs and/or active release of commercially available antagonists, conservation biological control involves habitat manipulation to maximize the impact of natural enemies. As an agro-ecosystem with high ecological potential, olive cultivation is a very promising candidate for implementing this strategy. The overall aim of the present proposal is to evaluate the possibilities for practical improvements to protect against the natural enemies in the olive agro-ecosystem by use of conservation biological control methods. The focus of these habitat manipulations being investigated will be to evaluate native plant species that can provide essential food sources (e.g. nectar, pollen, honeydew, alternate host/prey), to natural enemies, thus enhancing their survival, fecundity, longevity and behavior, to increase their effectiveness. While by implementing the project it is mainly expected to maximize this specific service, as native plants to the country are to be used, it can actually provide benefits in terms of wildlife conservation and of biodiversity and landscape values. If subsets of native plants prove effective at enhancing natural enemies, farmers may have an economic reason for preserving and restoring remnant habitats or for re-creating similar communities on their farms. Likewise, organizations involved in natural areas restoration may gain better cooperation from adjacent landowners if the natural communities they are conserving have been shown to have benefits for important natural enemies. Potentially the results could also lead to improved viability of olive farms in marginal rural areas, mainly if included into organic olive production, as demand for organically grown olive products is rising and consumers are willing to pay higher prices for olive oil of superior quality. Better marketing of olive oil might in this way constitute an important driver for improved natural resources management. It is too anticipated that the dissemination of the results to olive growers, conservation organizations, native plant producers and to the society in general, will aid in implementation of these practices in the future. 1st National Meeting on Organic Olive Growing held in 2007 under de coordination of the IR (Investigator Responsible) for the present proposal, drew about three hundred individuals including significant numbers of non-agricultural clientele, suggesting its attractiveness to the Portuguese public. Field studies of habitat management to enhance biocontrol of pests have only about a 20-year history. Also relatively few plants have been evaluated for this purpose and of those, almost all were not native to the area of study, while the benefits of using native plants are recently being recognized. To our knowledge there is no a comprehensive study about conservation biological control on the olive grove ecosystem in spite of its high ecological potential. Studying habitat management in this ecosystem according to the standards of ecological engineering for pest management, offers scope to reach real progresses in this growing field of research.