National

Mallus – Implementação do Eixo-Duplo Como Sistema de Condução em Macieiras

Coordinator: Malus (Soc. Agrícola Unipessoal)
UTAD/CITAB Coordinator: Ana Paula Calvão Moreira da Silva

O sistema de condução não é mais do que a integração de uma série de parâmetros, como da forma a dar às árvores, da densidade de plantação (definição das distâncias entre linhas e entre plantas) e todos os sistemas de apoio.

Não há nenhum sistema de condução que se possa considerar universal e o mais indicado para determinada espécie, ou mesmo região, sem se atender a um vasto número de factores como sejam, o clima, o solo, as variedades, porta-enxertos, a qualidade das plantas à saída do viveiro, a disponibilidade de água, maquinaria e mão-de-obra, mas também, e não menos importante, as questões de ordem financeira. A conjugação e o exacto conhecimento de todas estas condições determinam a combinação ideal para cada pomar.

Essencialmente, a produção de frutos é altamente dependente da interceptação de luz e da sua distribuição pelo copado. Isso significa que o sistema de condução escolhido necessita, sempre, de assegurar a interceptação de luz ideal e a sua distribuição no pomar (Hoying e Robinson, 2006).

Por isso as decisões a tomar sobre a forma a dar à planta e consequentemente a densidade de plantação, são sempre difíceis de tomar e envolvem algum risco inerente ao facto de se estar a lidar com arbóreo-arbustivas que, obviamente, permanecem vários anos no terreno.

É, contudo, importante que qualquer decisão que se tome, não pode por em risco uma a obtenção de uma produção rápida, regular e elevada de frutos de boa qualidade.

Dos vários sistemas de formação que actualmente estão em voga para a condução de pomóideas, surge o sistema Bi-eixo (double axis system/bibaum trees) que se encaixa plenamente no conceito de sebe de frutificação e induz um bom controlo do vigor da planta e ajudando a manter o tamanho da árvore.

Este sistema tem já alguma expressão em outros países, como na Itália, onde os produtores de maçãs, pêras, e cerejas estão a adoptar este sistema com algum êxito. Aliás a sua origem, é mesmo italiana, sendo a designação deBibaum, proveniente do nome de um dos maiores viveiros que produzem estas árvores. A necessidade que os fruticultores do Vale do Pó, onde o solo é fértil e a estação de crescimento é longo, tinham para controlar o vigor em pereiras, uma vez que não existem porta-enxertos ananicantes, levou ao desenvolvimento desta nova forma a dar às árvores. Neste sistema o vigor divide-se pelos dois troncos o que torna mais fácil o controlo do tamanho da árvore. É objectivo deste projecto testar este novo sistema de condução em macieiras da variedade Golden Delicious enxertada em M7 e compará-lo com o tradicional (eixo revestido) ao nível da árvore, encargos e quantidade e qualidade do fruto.

Project Details

Status

Concluded

Start date

Janeiro 2012

Duration

39 months

Funding

PRODER

Responsible institution

Malus (Soc. Agrícola Unipessoal)